Entenda o que é a Esofagite

Entenda o que é a Esofagite
0 9 janeiro 2018

A Esofagite é a inflamação no esôfago, o tubo que liga a parte posterior da boca ao estômago e que conduz o alimento até o estômago. Quando não diagnosticada e tratada precocemente, causa alterações em sua estrutura, bem como em sua função.

Tipos:

A esofagite pode ser classificada em quatro tipos diferentes de inflamação. Para cada um deles existe uma causa específica.

 

Esofagite de refluxo

Em nosso aparelho digestivo, existe uma estrutura parecida com uma válvula que impede que os ácidos contidos dentro do estômago voltem para o esôfago. Se essa estrutura não funciona corretamente, o paciente é diagnosticado com a Doença do Refluxo Gastroesofágico, em que os ácidos estomacais voltam ao esôfago com bastante frequência. Uma das complicações possíveis dessa condição é a esofagite, com quadro de inflamação crônica e danos no tecido que reveste o esôfago.

 

Esofagite de eosinófilos

Eosinófilos são células sanguíneas responsáveis pela defesa ou imunidade do organismo, que ajudam na regulação de inflamações e participam ativamente na ação contra reações alérgicas. A esofagite de eosinófilos acontece quando há uma alta concentração dessas células na região do esôfago, em resposta à ação de um agente alérgico.

Geralmente, pessoas infectadas com este tipo de esofagite têm alergia a um ou mais alimentos, como leite, ovos, trigo, soja, amendoins, feijão, centeio e carne bovina, mas também podem apresentar alergias ao pó, por exemplo.

 

Esofagite causada por medicamento

Vários medicamentos de via oral podem causar danos nos tecidos, principalmente se estes permanecerem em contato com o forro do esôfago por muito tempo. Além disso, tomar remédios com pouca ou sem água também é considerado um risco, pois a pílula pode entalar no esôfago e acabar causando a inflamação.

 

Esofagite infecciosa

Esofagite também pode ser causada por infecção viral, bacteriana, fúngica ou por meio de um parasita no tecido que reveste o esôfago. A esofagite infecciosa é o mais raro dos tipos de inflamações no esôfago, e surge mais em pessoas com problemas de baixa imunidade – principalmente os portadores de HIV/AIDS ou câncer.

A causa mais comum deste tipo de esofagite é o fungo Candida albicans, normalmente presente na boca. No entanto, alguns fatores contribuem para a contaminação, especialmente imunidade baixa, diabetes, câncer e uso de antibióticos.

 

Fatores de risco

São fatores de risco para a esofagite:

* obesidade e número maior de gestações, porque  as duas condições favorecem o aumento da pressão abdominal;

* infecção por fungos, como a cândida, ou por vírus, como os do herpes e o citomegalovírus;

* doenças autoimunes como a esclerodermia e a esofagite eosinofílica;

* ingestão acidental, ou não, de produtos químicos cáusticos;

* vômitos excessivos, como os que ocorrem nos casos de bulimia;

* álcool e cigarro;

* dieta inadequada;

* cirurgia ou radiação na área do peito e pescoço;

* uso prolongado de medicamentos; por exemplo, os corticoides e os anti-inflamatórios;

* sistema imunológico deprimido.

 

Sintomas

Os sintomas da esofagite são semelhantes aos do refluxo gastroesofágico, embora possam ser mais intensos. O mais característico é a azia ou queimação (pirose), que começa na altura do estômago e pode atingir a garganta. Outro sintoma importante é a dor no peito tão intensa que chega a ser confundida com a dor da angina e do infarto do miocárdio.

Além desses dois, portadores de esofagite podem apresentar as seguintes queixas: regurgitação, gosto amargo na boca, mau hálito, rouquidão, dor de garganta e tosse.

 

Convivendo com a doença:

Evite alimentos que possam lhe causar alergias. É sempre bom evitar também aqueles alimentos que possam facilitar o refluxo.

Na hora de tomar seu medicamento, beba bastante água junto. Isso ajuda a pílula a descer com mais facilidade.

Perder peso e parar de fumar são uma boa pedida também. Tudo para ajudar no tratamento e para acelerar a recuperação.

 

Fonte: Minha Vida e Dr. Dráuzio Varella

Posted in Blog

Deixe um comentário

Share This