Prisão de ventre: como melhorar?

Prisão de ventre: como melhorar?
0 27 dezembro 2017

O intestino preso, também conhecido como prisão de ventre ou constipação intestinal, se caracteriza pela dificuldade em evacuar, evacuação incompleta e fezes endurecidas.

A constipação não é definida necessariamente pelo número de vezes que você vai ao banheiro, uma vez que duração normal de tempo entre as evacuações varia muito de pessoa para pessoa. Você pode ir ao banheiro a cada dois ou três dias, por exemplo, mas se a evacuação não é desconfortável, você não está com prisão de ventre. Algumas pessoas podem inclusive ir ao banheiro todos os dias, mas sofrerem de constipação justamente pela dificuldade ao evacuar ou pela sensação de não ter evacuado o suficiente.

É preciso considerar que não existe um padrão rígido para classificar a frequência normal de funcionamento dos intestinos, que pode variar de 3 a 12 vezes por semana.

Enquanto os alimentos que são consumidos passam pelo sistema digestivo, os nutrientes e a água que estão presentes neles vão sendo progressivamente absorvidos pelo organismo. Aquilo que não é aproveitado pelo corpo forma o bolo fecal, na qual é empurrado para fora através de contrações musculares da parede do intestino.

Quando esses movimentos ficam mais debilitados, há um acúmulo de material não digerido no intestino, que pode causar uma reabsorção de água e um endurecimento desses resíduos.

Cerca de 20% da população mundial sofre com esse transtorno, atingindo principalmente mulheres e idosos.

 

Causa:

O bom funcionamento do intestino está ligado diretamente com o estilo de vida das pessoas. O consumo insuficiente de líquidos e de fibras, alimentações ricas apenas em proteínas ou com muito amido, o sedentarismo, o uso de alguns medicamentos, fatores psicológicos, segurar a vontade de ir ao banheiro e até mesmo o modo como as pessoas sentam no vaso sanitário para evacuar podem contribuir para se ter prisão de ventre.

Algumas condições médicas específicas podem contribuir para se ter prisão de ventre também, são elas:

  • Síndrome do Intestino Irritável;
  • Efeito colateral do Diabetes;
  • Hipotireoidismo;
  • Períodos prolongados de febre;
  • Parasitas intestinais;
  • Diverticulite;
  • Uso indiscriminado de laxantes;
  • Colite (inflamação no intestino grosso).

 

Como melhorar?

Aumentar a ingestão de líquidos, adicionar mais fibras à sua dieta e praticar exercícios físicos. Basicamente essas três medidas são indispensáveis e devem andar sempre juntas para se ter um bom funcionamento intestinal.

Beba mais líquidos

80% das fezes é composta por água, o líquido hidrata o bolo fecal, evitando que ele fique ressecado, ajuda na digestão das fibras e consequentemente no trânsito intestinal. Cuidado com o excesso de bebidas cafeinadas e alcoólicas, pois causam desidratação.

Coma mais fibras

As fibras auxiliam na formação do bolo fecal. Alimentos como frutas, legumes e verduras são de extrema importância para nossa saúde, são ótimas fontes de fibras e ainda não possuem muito estímulo energético. Além dos cereais integrais, como sementes de linhaça, aveia, pão integral, entre outros, que também são ótimas opções.

Frutas como ameixas e mamão são considerados alimentos com efeito laxante, pois são ricos em fibras e água. O ideal é consumi-los diariamente, para mobilizar o bolo fecal e combater o intestino preso.

É bom evitar, ou pelo menos moderar, alimentos que contém muito amido, alimentos processados, laticínios, alimentos muito gordurosos, muito apimentados e dietas a base de proteínas. Além de possuírem baixo teor de fibras, provocam a mucosa intestinal e acidificam o pH do intestino, o que dificulta seu funcionamento.

Segundo o Ministério da Saúde, um adulto precisa em média de 25 a 30 gramas de fibras diariamente. Alguns dos alimentos mais ricos em fibras são:

  • Frutas como mamão, laranja (com bagaço), ameixa e abacaxi;
  • Feijão preto, grão-de-bico, lentilha, soja e arroz integral;
  • Verduras e legumes como abóbora, brócolis, berinjela, alcachofra, milho cozido, espinafre e couve;
  • Chia: uma colher de sobremesa possui mais de 6 gramas de fibra;
  • Aveia, pipoca, batata doce com casca e nozes;
  • Linhaça (deixe de molho na água por algumas horas).

Pratique mais exercícios físicos

A atividade física faz com que o corpo funcione melhor. Corridas, caminhadas, natação, entre outras diversas opções, estimulam o movimento peristáltico, que é o responsável pelo intestino, fazendo com que o bolo fecal seja expulso do nosso organismo.

Além disso, a prática dessas atividades alivia a tensão, o estresse e o mau humor, melhorando a qualidade de vida em um modo geral.

Não segure a vontade

É comum muitas pessoas ficarem com o intestino preso quando estão longe de casa. Nesse caso as causas estão ligadas ao psicológico, por sentirem vergonha de ir em outros banheiros. O ideal é nunca segurar a vontade.

Quando não se evacua ao primeiro estímulo, as fezes recuam de uma porção mais final do reto para o segmento acima, o cólon sigmóide, que absorve a água presente nas fezes, fazendo com que elas voltem mais ressecadas ao reto no próximo estímulo. Quando esse comportamento vira um hábito, o organismo se acostuma com um bolo fecal maior e passa a não mandar mais o sinal para ir ao banheiro.

Educar o organismo, escolhendo sempre um mesmo horário para ir ao banheiro, sentar no vaso sanitário e passar alguns minutos lá, mesmo sem estar com vontade de evacuar, são boas opções que também contribuem para se ter um bom resultado.

Posted in Blog

Deixe um comentário

Share This