Como se proteger para o retorno ao trabalho

0 26 maio 2020

Muitos países, após passarem pelo pico de contaminação, já estão começando a retornar suas atividades comerciais e sociais. Aqui no Brasil, os casos ainda estão crescendo, porém alguns estados já começam a pensar em uma flexibilização do isolamento social. No Pará, com o fim do lockdown, as ruas já estão começando a ficar mais cheias e um fluxo bem maior de pessoas vem sendo visto, além do retorno ao trabalho em alguns setores. Porém, até o momento, o distanciamento social se mostrou uma das principais medidas de proteção contra a COVID-19. Então como retornar as atividades com mais segurança?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda cautela no relaxamento do isolamento social e de outras restrições à movimentação das pessoas até que as transmissões estejam controladas.  

Quais cuidados devo tomar no transporte público?

É importante lembrar que a recomendação ainda é ficar em casa. Caso precise retornar ao trabalho ou precise sair de casa, atente-se às recomendações::

  • Utilize máscara;
  • Evite transportes coletivos lotados;
  • Em táxis, sentar-se
0 22 maio 2020

Dúvidas, medos, incertezas, tédio, falta de perspectiva. Esses são alguns sentimentos bem comuns em tempos de pandemia e é normal que eles apareçam, afinal a situação de toda a população mundial é nova e surgiu como uma surpresa. Porém, esses sentimentos afetam diretamente nossa saúde e bem-estar, e é preciso controlá-los para manter um equilíbrio físico e emocional.

Você sabia que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é líder em volume de pessoas ansiosas do mundo, com 18,6 milhões de brasileiros. Isso representa cerca de 10% da população convivendo com a ansiedade. E isso tudo pode se agravar mais ainda com a pandemia e o isolamento.

Entender que o medo é uma reação natural ao desconhecido é essencial. Ele é a nossa defesa instintiva frente às ameaças vivenciados em nosso cotidiano. Estar passando por uma pandemia pode despertar sensações de desamparo, que pode atenuar o medo e a insegurança em frente ao casos de adoecimento coletivos. E o que fazer? O melhor antídoto para tais situações é o conhecimento. A utilização de fontes de informação confiáveis é um meio de tranquilização. É necessário, também, não se deixar bombardear pelo fluxo contínuo de dados que chegam até nó